A beleza está no interior


A beleza está no interior. Uma frase comum, quase cliché, mas que cada vez se ouve menos. Talvez porque se transformou numa espécie de mito, num ideal utópico tão distante dos valores da sociedade de consumo que dificilmente tem aplicação prática.
Também eu subestimei essa ideia. Quem poderia acreditar em tal frase quando somos influenciados socialmente desde crianças a apresentarmo-nos no nosso melhor? Além disso, não seria contraditório se o nosso exterior não estivesse em sintonia com a beleza interna que tanto queremos exibir?
Quase me envergonho de admitir que só há pouco tempo é que percebi o verdadeiro significado desta frase. Durante anos vi a minha pele como uma tela para experimentar cremes e cosméticos, ignorando o facto de ela ser uma ligação, uma membrana, entre o nosso corpo e o mundo que nos rodeia. A poluição, os raios ultravioletas e a ansiedade fazem o corpo reagir negativamente e a pele é o seu meio de comunicação preferido para transmitir a mensagem.
Dizer que a beleza está no interior não é apenas uma metáfora para a importância da personalidade, é uma chamada de atenção para a nossa saúde. Enquanto escrevo estas palavras tenho uma máscara de mel e canela na minha pele. Não por mera vaidade, mas como forma de limpar e cuidar do meu rosto com ingredientes suaves que não vão intoxicar o organismo. Antes, quando uma borbulha aparecia, eu comprava novos produtos que prometiam ser melhores, mais eficientes, com resultados em 4 horas. Um autêntico milagre numa embalagem de plástico. Com o tempo percebi que essa solução era efémera e prejudicial para o equilíbrio da minha pele. Agora, quando vejo uma nova borbulha não olho para o exterior, mas para o interior. Revejo a minha alimentação, acalmo a minha mente e deixo a minha pele respirar. Quando se trata da nossa saúde, há pequenas mudanças que conseguem ajudar o corpo a curar-se naturalmente.
Para mim isso foi aceitar a minha pele com todas as suas imperfeições e peculiaridades. Continuo a não gostar quando às vezes aparece uma nova borbulha mas agora compreendo que o nosso corpo é um organismo complexo, difícil de perceber e impossível de controlar. A única coisa que podemos fazer é trata-lo da melhor forma que conseguimos. Isso não implica comprar produtos caros e ter um armário cheio de cosméticos orgânicos. Também no que diz respeito à pele, a simplicidade é a melhor solução e por vezes ela está mesmo ali, no armário da cozinha.


4 comentários:

  1. Adoro seus textos Inês! Também partilho da ideia de "ouvir" o nosso corpo através dos seus sinais externos... Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Débora! Eu só tenho pena não ter começada a ouvir o meu corpo mais cedo :)

      Eliminar
  2. Obrigada pela partilha. As situações de pele muitas vezes são hormonais. E o acne é muitas vezdes provocado por hormonas e/ou alimentação. Os alimentos inflamatórios desequilibram as hormonas e consequentemente a pele. Li dois livros muito bons a esse propósito. Vou partilhar mais sobre isso em breve no meu site :) beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens de me dizer que livros são esses, adorava ler, até porque acho que esse é mesmo o meu problema. De qualquer forma vou continuar a estar atenta ao teu blogue como de costume :) Beijinhos

      Eliminar